Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

O melhor Pai do Mundo

Ser Pai é uma experiência que merece ser partilhada. Este espaço é dedicado a todos os Pais que receberam dos seus filhos o título de "O melhor Pai do Mundo".

Pai, não te preocupes eu fico bem na Escola

pai-nao-te-preocupes-eu-fico-bem-na-escola.png

Primeira semana já passou. Quantos Pais sentiram o coração (ainda mais) apertado? Pais com sentimentos opostos entre o deixar os filhos e o regressar à vida “normal”. Sim, é mais uma mudança que temos de viver e gerir. Foram tantas ao longos dos últimos meses que parece que a vida não estabiliza.
 
O primeiro impacto na chegada à Escola é a fila para entrar. A azáfama mantém-se, mas a fila impressiona. O normal seria um “chegar e largar” muitas vezes rápido porque a vontade das crianças não era muita para ficar na Escola, outras vezes mais demorado e cheio de miminhos como se fossemos estar longe uns dos outros durante uns dias. Mas aquela fila põe-nos logo em sentido. Pais e crianças com máscaras, olhares preocupados, o distanciamento possível, os auxiliares de gel desinfetante em punho como se fossem agentes especiais.
 

Sentimos que os estávamos a deixar num mundo desconhecido. Foram muitos meses com as crianças sempre ao nosso lado que agora nos parece muito estranho deixa-los ali à porta sem bem saber o que está lá dentro. Sempre olhamos para a Escola como um espaço da comunidade, gostamos de conhecer as salas, os professores e todos os que colaboram. É uma família grande em que todos querem a mesma coisa, que as nossas crianças sejam felizes. Desta vez, o espírito é o mesmo, mas os Pais ficam do lado de fora. É muito estranho.

 
A nossa menina não vai sentir muita diferença entre o que era a Escola e o que é agora. Adapta-se facilmente e o que quer é brincar muito. Já no mais velho o impacto é tremendo. Eu nem imagino o que passa pela cabeça de uma criança com 10 anos que viu, em poucos meses, ser-lhe retirado quase tudo o que mais gostava na Escola. Desde a interação com os professores, a proximidade com os auxiliares e, acima de tudo, as brincadeiras com os amigos, enfim a liberdade.
 
Não é possível construir uma redoma para cada aluno, eles têm de se relacionar com mais ou menos distanciamento. Isto é claro, mas custa a qualquer Pai e a qualquer Mãe que fazem tudo pela felicidade dos seu filhos, estarem de mão atadas para mudar este cenário.
 
O coração passou a semana mais apertado que nunca. Sempre que chegávamos a casa saía um respirar fundo que deita tudo cá para fora quase que a expulsar toda a angústia vivida durante o dia. "Enfim estão connosco", mas amanhã é outro dia e assim, dia-a-dia, vamos continuar a sobreviver a tudo isto, com o mesmo sorriso nos olhos (agora é literalmente nos olhos) e com o foco sempre bem presente: a felicidade dos nossos filhos é tudo!
 
Venha a próxima…
 
O Pai

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.